quinta-feira, 26 de outubro de 2017

livro Novo na Amazon : Tempestade Tropical

  Olá pessoal!

Lancei mais um romance no site na Amazon, chamado Tempestade Tropical.

Que conta a história de uma mulher discreta, mas que vai se perder nos braços de um certo espanhol que adotou o Brasil para morar...Querem saber mais?

Sinopse
Quando uma mulher obstinada e muito sedutora sucumbiu na própria armadilha. 
Dinah Fontanne é uma empresária obstinada e levemente tempestuosa, alguns inimigos a chamam de viúva de ferro. A mulher de pouco amigos leva uma vida acima de qualquer suspeitas. Acostumada a mudar o rumo das vidas das pessoas, aparentava ainda ser devota à memória do primeiro marido e a todos os negócios da família Fontanne, a qual ocupa a cadeira da presidência. O que quase ninguém imaginava, era que Dinah tinha sim as suas aventuras amorosas entre uma reunião ou outra, ou no silêncio da sua luxuosa cobertura. Porém, ela não imaginava que o seu alvo seria também a sua ruína. Benício Pavano, escolheu a cidade São Paulo para vencer pelos próprios méritos, mesmo que isso fosse algo bem difícil de alcançar. Sócio de uma agência de publicidade com poucos clientes, o rapaz aprendeu a usar uma arma a seu favor: a beleza. O que ele não esperava era a chegada de uma mulher rica e misteriosa que mudaria completamente a sua vida. Ela deixaria todos aos seus pés, porém ele só queria uma pessoa aos seus pés. 
Um encontro. 
Trocas de favores. 
Sentimentos à flor da pele. 
Poderia um coração de gelo se sentir aquecido no meio de uma tempestade?


Clique :  romance

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Blog Novo!!!!

olá!

Hoje vim contar uma novidade.
Estou com um blog novo, voltado apenas para livros.
No meu novo blog chamado Livros na Caixa, vou resenhar livros e destacar alguns pontos que observei na história.

Ele ainda está bem no comecinho, ainda falta postar muitas resenhas, porém aguardo por vocês!!

Vou deixar o link do meu mais novo Blog → Blog livros na Caixa 



segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Meu poema O Caminhar

O caminhar

Com passos lentos e rastejantes
Sem sonhos e doçuras
 De roupas gastas e com paúra
O homem voltava junto à penumbra

Era noite e era dia
Nem o sal do suor o impedia
Ele subia e descia, todo santo dia
O povo achava graça
Tinham pena
Ou apenas riam

Pobre homem e o seu caminhar
Em dias de chuva e  dias de sol
O pobre homem nunca falhava
Estava sempre na sua caminhada

Um dia o pobre homem foi seguido
De tão atento não se deu conta
Da multidão que vinha em as suas costas
Ele só percebeu quando o dia já tinha indo embora
E para casa voltaria usando a noite como o seu guia

Pobre caminhador
O povo não entendeu a sua dor
Nem mesmo quando explicou o que tanto esperava chegar  
naquele velho porto
Era apenas o seu grande Amor.
Que um dia prometeu voltar sem hora e data, mas que voltaria
 pelas ondas do mar.
E para aquele pobre homem caminhador
Então restaria apenas caminha e esperar...caminhar e esperar...

Até o fim de espera ou da sua agonia terminar.

***Essa poesia foi exposta na 5° edição de poesia na cidade de Poá-SP. Com incentivo para a escrita e a leitura*** 


         c Roberta Del Carlo c 

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Rua


Um dia caminhando pelas ruas da cidade, sem pressa ou destino certo acabou parando em uma rua que em seu passado foi muito importante.
Aquela rua de paralelepípedos, de casas humildes e árvores frondosas ainda continuava do mesmo jeito. Então a velha curiosidade bateu e ele continuou caminhando até o fim daquela rua.
Ali, morava o seu primeiro amor e logo veio a pergunta: Será que ela ainda mora aqui?
Ele continuou andando junto com a esperança, coração acelerado mas como intuito de ceder apenas uma velha curiosidade, e quando chegou no fim daquela rua, ficou sem reação.

A casa do seu antigo amor tinha sido demolida.








c Roberta Del Carlo c 

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Lixo

Uma vez, eu vi uma formosa rosa ser jogada na lata do lixo e fiquei com dó.
Logo pensei no cuidado que aquela rosa teve para “viver” e quem sabe cumprir a sua missão que era deixar o dia de alguém ‘feliz’.
Foi uma pena – pensei e continuei a minha caminhada.
E,  no instante seguinte uma nova cena me surpreendeu.
Sabe aquela mesma rosa recém jogada dentro de uma lata de lixo, foi recolhida por um humilde senhor, um catador de latas com sua pesada carroça. E sem medo ou vergonha, pegou aquela bela rosa quase despedaçada e enfeitou a sua carroça.


E foi inevitável não pensar que isso sim era do lixo ao luxo. 


c Roberta Del Carlo c

terça-feira, 27 de junho de 2017

Inefável


           Todas aguardavam ansiosas para a chegada de Margo. A jovem finalmente, tinha sido convidada para um passeio, pelo jovem mais garboso da cidade.
Jonas, era um grande paquerado e dono de um conversível que deixavam todas as moças assanhadas e os rapazes enciumados.
Só que Margo era moça exigente e aceitou aquele convite pelo único motivo, que era sentir os seus cabelos esvoaçando pelo vento, enquanto aquele carro corria pelas ruas mais agitadas da cidade.
Logo, que chegou do passeio, deparou-se com cinco pares de olhos femininos, cheio de expectativas e famintas por uma boa história. Uma delas não se contentou e logo perguntou:
— Então Margo como foi o encontrou com Jonas?
Margo, com aquele seu olhar de desdém, balançou os cabelos e foi caminhando para o quarto, mas respondeu as curiosas de plantão.
— Eu diria que foi um encontro...Inefável. Simplesmente inefável.

As moças se entreolharam sem entender o que a palavra significavam e enquanto se questionavam, uma sonora gargalhada de Margo era ouvida entre os cômodos da casa. 








c Roberta Del Carlo c

O circo

Ela não se contentou em apenas olhar, admirar e dar boas gargalhadas com os truques e espetáculos. Ela queria mais.
E foi na madrugada arrumou suas malas e deixou a sua amada casa.
Ela não pensou no futuro, nem pensou na vergonha que a família passaria diante do falatório que aconteceria na manhã seguinte.
Ela tinha alma de artista- já dizia uma tia.
A menina-moça encantada com todo aquele esplendor e não se contentou e um dia se foi.

O seu nome mudou para um mais artístico e viveu a sua vida como queria, dentro de um circo.


c Roberta Del Carlo c